Páginas

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

A morte

๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑
Tu que choras sobre um tumulo mórbido
E na madrugada lamentas a morte
E nada acalenta o seu sofrimento sórdido
Ignorando a própria sorte.

Tu que já não sentes a suavidade sufocante
Nem o pranto que na face pálida rola
Só a dor e o sofrimento angustiante
Pois, é a sua alma sombria que hoje chora.

Eu, enfim, velo por seu livramento
Mas preciso pagar pelos meus pecados
Portanto, não quero fazer julgamentos
O meu espírito não foi exorcisado.
๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑

sábado, 23 de janeiro de 2010

Águas profundas

๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩
Oh! águas profundas

Sufocai a minha agonia

E a minha alma sombria

Deixará de ser turgida

Como a minha alma vazia...


Oh! águas escuras

Acalentai a minha dor

E que o meu espírito sofredor...
Cont.(em reforma)
๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

O Esquecimento

† ۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩ †
Tu que choras sobre um túmulo mórbido

E na madrugada lamentas a morte

E nada acalenta o teu sofrimento sórdido

Que faz sucumbi a própria sorte.


Tu que já não sentes a suavidade sufocante

Nem o pranto que na face pálida rola

Só a dor e o sofrimento angustiante

Pois é a sua alma sombria que hoje chora.


Eu, enfim, velo por seu livramento

Mas preciso pagar pelos meus pecados

Não quero fazer julgamentos

Pois o meu espírito ainda não foi exorcizado.
† ۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩ †
Morgana_Osodrac

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Sussurros

๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩
Sussurros chegam até a mim
Como quem tem histórias pra contar
Contos deixaram de ser belos
Asas foram cortadas para quem não deveriam voar.
O medo que deixou de ser constante
Se torna alimento pra minha alma lacrimosa
Mas a dor que atormenta o meu coração
Ignora a paz que ainda não me sufoca...
๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩

quinta-feira, 23 de julho de 2009

morgana_osodrac
s.:morgana

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Última Noite


† ۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩ †
Última Noite Andando, esperando,
O que esta noite me reserva,
Sentindo, fugindo, Se aproxima devagar,
O que você está esperando, Venha até mim,
Eu te aguardo esta noite, Esta noite, esta noite,
"Eu estou tão bem deste lado,
Sua curiosidade vai te matar,
Você foi quem quis vir atrás,
Então não se desespere,
Este é seu novo mundo" Florestas, Jardins,
Neste mundo eles são feitos de sangue,
Sangue, morte,
Isso é o que se encontra nesta noite,
E agora para que fugir,
Não mais adianta se esconder,
O seu destino já foi traçado,
O seu destino corre em suas veias.
† ۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩ †

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Escuridão


๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩
Escuridão Bela e tenebrosa
Viva e ao mesmo tempo morta
Liberta mas também sufoca
Corrompe mas não se importa

Com a dor e o sofrimento
Com a agonia de qualquer lamento
Com um pulsar que não estar batendo
Ou com as palavras que não entendo.

Escuridão Por que traz o meu temor?
Por que insiste em lembrar da dor?
Por que se passa por sofredor ou até mesmo
Acolhedor.Pois me tire da melancolia
Não me deixe nessa agonia
Até eu mesmo me mataria
Por um pouco de alegria...

Por que me faz sofrer?
Por que me faz chorar?
Não pretendo esquecer
Só você me faz me libertar.
๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩๑๑۩۞۩